segunda-feira, 14 de maio de 2018

Minha gravidez " Relato de seguidora"

Olá pessoal,

Abri um espaço aqui no blog para vocês contarem suas histórias de vida de maternidade.
Nossa seguidora nos enviou um relato sobre sua gestação que vocês poderão ler abaixo.
Sintam-se a vontade para me enviar também a sua história.



Minha gravidez

Sempre foi um sonho engravidar, tive um relacionamento (o meu primeiro namorado) de quase 9 anos, com 6 anos ficamos noivos e a partir daí começou, engravidei, não sabia, pois não passei por nenhuma mudança a princípio, descobri quando sofri meu primeiro aborto, me recuperei da perda e vida que segue, 10 meses depois de ter ficado noiva, me casei, e vamos nós de novo... mais uma gravidez e mais um aborto, passou um tempo tentamos mais uma vez, comecei o tratamento médico, e mais uma, enfim, parecia esta correndo tudo bem, até que um dia, mais um sangramento e não teve como segurar o feto, perdi com 9 semanas de gravidez.
Mais uma vez, vida que segue né??
Começamos a enfrentar alguns problemas no casamento, problemas esses que nos forçaram a separar esse inicio de ano, estava super empolgada com meus projetos de trabalho, com o desenrolar das coisas em minha vida, meu ex esposo, assim como em nossa ultima conversa, deixou claro que estava seguindo a vida dele, e eu estava fazendo o mesmo, estudos e carreira estavam super encaminhados, dois meses separados, comecei sentir algumas mudanças em meu corpo, só que estava tendo pouco tempo de descanso, minha alimentação estava toda irregular, imaginei que fosse por esse motivo. Mas....não foi como eu imaginava e no dia 12/02/2018, tudo mudou...
Uma prima minha estava super feliz, pois sua menstruação estava atrasada a pouco mais de uma semana, ela me chamou pra ir fazer o exame com ela, que não queria ir só, eu fui, chegando lá, ela me convenceu a fazer também (quando tive contato com meu ex, nos prevenimos e tomei a pílula do dia seguinte), mesmo eu convicta que seria impossível eu esta grávida. Fizemos o seguinte acordo no dia, uma olha o resultado da outra. Minha mãe estava na cidade no dia, passamos a manhã juntas e não toquei no assunto do exame, fui ao laboratório com minha prima as 10:18hs, colhemos o sangue e a atendente informou que  o resultado estaria pronto as 14hs e que poderia ser tirado online, ela nos passou uma senha de acesso, cada uma com sua senha, trocamos e aguardamos (eu ainda estava suuuper tranquila), quando foi 13:59hs fui olhar o resultado como a moça havia orientado, o resultado dela já havia sido divulgado, e deu positivo como ela já esperava, contagem de aproximadamente   semanas, e nada do meu ser divulgado, uma ansiedade me consumia por dentro a essa altura, até que... ela olhou pra mim e disse, “Si?? Saiu o resultado” e não falou mais nada, peguei o celular e olhei o  resultado, lá estava REAGENTE, foi desesperador pra mim, foi como se tivesse aberto um buraco abaixo dos meus pés.. só sabia chorar, nada mais. Ligue para minha mãe, perguntei onde ela estava, disse que indo embora já, pedi que me encontrasse em determinando lugar que precisava conversar com ela urgente, liguei para o Marlon (nome fictício), meu ex esposo, e avisei da gravidez, brigamos ali mesmo, por que ele afirmava que eu já sabia e não tinha dito nada pra ele, tivemos uma discursão longa, desliguei e cortei contato, ele estava viajando a trabalho e mandou uma mensagem avisando que estaria na cidade no da seguinte e que falaríamos pessoalmente, só respondi OK. Fui ao encontro da minha mãe, eu só chorava, minha prima comigo.
Esperei minha mãe chegar, e pronto, ela chegou, minha prima saiu, disse que precisávamos conversar, fui direta “mãe, estou grávida, acabei de ficar sabendo e não quero” (só conseguia negar meu filho, mesmo não pensando em tirá-lo), minha mãe começou a chorar, e não disfarçava a alegria, o sorriso era claro em seu rosto, e isso me deixava ainda mais nervosa, e ela me pedia calma, disse que Deus tinha um propósito para aquela gravidez, eu dizia que o momento era totalmente inoportuno, ela ligou para meu irmão  (que passou a morar comigo depois da separação) e pediu para ele ir onde estávamos, depois para meu pai, ela sorria ao falar sobre com ele, e assim foi para o hospital tentar marcar uma consulta para, quer queira quer não, iniciar o pré natal logo, eles me acompanharam, consegui vaga para o dia seguinte, minha mãe foi pra casa dela, eu também fui com meu irmão pra nossa, eu só chorava.
Chegou o dia seguinte, hora de encarar o Marlon e a ultrassom, então vamos lá, conversamos, ele pediu para ter todo o acesso a criança e participar de todas as consultas, por queria assumir o papel de pai, e lá fomos para a primeira consulta, o médico fez milhões de perguntas, e fomos fazer a ultra (endovaginal, é horrível (acho que não sou a única a não gostar dela, rs)), lá estava o bebê, coração batendo a mil por hora, minúsculo, ainda não dava pra vê-lo bem, mas estava com quase 8 semanas, foi emocionante? Foi. Mas não estava preparada para abrir mão de tudo para me doar a gravidez, por que sabia o risco que ela representaria, comecei a passar por algumas crises emocionais e psicológicas, me afastei de tudo e de todos, não comia, não dormia, não tinha energia para nada, só chorava, chegou o dia da segunda consulta, há, detalhe, o médico me pediu repouso absoluto, pelo risco da gravidez, mais uma vez aquela preocupação me consumia, além de tudo.
Na semana seguinte, segunda consulta o bebê estava do tamanho de um grão de arroz, já dava para vê um pouco melhor onde seriam os braços e as pernas (mesmo que ainda não estavam formados), e o bebê estava bem, desenvolvendo, comecei os medicamentos e a usar um remédio para segurar o embrião, vamos lá, 5 tipos de remédio, repelente, repouso, enjoos, enxaqueca, e vai somando um monte de outras coisas.
O tempo foi passando, fui tentado preparar meu psicológico, conversando muito com Deus, me aproximando ainda mais da minha família, pois eu precisava está com eles, precisava muito deles, fui conseguindo aceitar um pouco mais, no dia 17/04 tinha uma nova consulta, ia fazer a translucência nucal, quando cheguei lá o medico disse que deveríamos esperar um pouco mais, pois estava com 11 semanas apenas, então remarcamos para daí duas semanas, dia 30/04, ultima segunda feira, meu Deus que ansiedade para chegar aquele dia, ainda mais que havia a possibilidade de ver o sexo do bebê, sim, eu já  havia pensado nos nomes, e no fundo, não conseguia imaginar eu com uma menina nos braços, sonhava com um menino, sempre, minha vida toda, os nomes que todos gostamos foi Alice e Bernardo.
Chegou o grande dia, às 10:00hs eu já estava na clinica, parece que os 30min para a consulta não passavam, o pai chegou junto com minha “ex enteada” (ele tem uma filha com 11 anos hoje), e a hora não passava, parecia que já estava esperando a horas (minhas primas iam na consulta também,  pois faríamos um vídeo revelação do bebê e elas que montariam, só que nenhuma das duas foi), chegou a hora, a secretária me chamou, e lá fui eu com o coração na mão, cheguei, sentei, e os dois lá na sala também, fomos para a maca, deitei, e começamos a falar sobre o bebê, já o vendo na TV, cabecinha perfeita, nariz, coração, coluna, quando chegou próximo as perninhas, comecei a rir, o médico me perguntou: “Já sabe o que é, não sabe??” Sorri ainda mais e disse, um menino, meu Bernardo, naquele momento não sabia se chorava, se agradecia ou se sorria, uma felicidade sem tamanho tomou conta de mim naquele instante e pela primeira vez, admito, me vi sendo mãe e segurando meu filho nos braços.

Muito obrigado querida por confiar em meu trabalho e partilhar sua história conosco!