quarta-feira, 12 de julho de 2017

Co Sleeping

            Você conhece o Co sleeping?  

Conceito de cama compartilhada está em alta no mundo materno e veio para facilitar a vida noturna dos pais e seus recém-nascidos


 
A chegada de um bebê é sempre motivo de muita alegria, porém as mudanças que estes pequeninos trazem para a rotina assustam muitos papais e mamães, principalmente os de primeira viagem.

Nesse cenário, a jornada de amamentação e os cuidados noturnos são afazeres dos mais preocupantes. Para amenizar um pouco essa angústia, uma das soluções é manter o bebê dormindo no quarto do casal, minimizando, assim, o risco de que o cansaço dos pais interfira na agilidade do atendimento a demanda infantil.

No entanto, muitos críticos caracterizam essa medida como superproteção ou muito negativa para a formação psíquica da criança, relata a psicóloga Juliana Germinari, especialista da Kiddo. “No passado havia um tabu maior com essa questão. Foram necessárias pesquisas que apontassem que dormir no mesmo quarto pode trazer, sim, benefícios ao bebê”, reitera. “Uma das vantagens encontradas é que, ao colocar o recém-nascido no mesmo ambiente, os pais proporcionam a ele um sentimento de segurança, o que o leva a dormir por mais tempo e sem sobressaltos”, ressalta.

Entretanto, compartilhar a própria cama de casal é uma decisão bastante arriscada, pois os pais podem pegar no sono profundamente e rolar para cima do bebê, causando um acidente fatal. “Uma excelente alternativa, são os modernos berços acoplados, que são muito mais seguros e confortáveis para os pequenos”, explica a psicóloga.

Juliana reforça, porém, que o ideal é que este processo se encerre aos seis meses de vida do bebê. “Após este período, a criança já vai ganhando mais autoconfiança e começa a ter percepção de que é um indivíduo independente da mãe, sobretudo. Incentivar essa fase é superimportante para seu desenvolvimento cognitivo e afetivo”, finaliza a especialista.
 Já mencionei aqui no blog que com Helô eu fiz "quarto compartilhado" na época em que ela nasceu pode até ser que já tivesse algo parecido com o Co Sleeping mas eu não tive conhecimento .O máximo que vi foi o bercinho aquele fofinho redondinho sabe .Mas usei o padrão americano mesmo, compartilhávamos o quarto, primeiro porque eu não saberia lidar com um bebê sozinho em outro cômodo, imaginem o serzinho acabou de nascer e já ser "abandonado" num quarto, não , não dava.Segundo porque sério a recuperação pós parto requer cuidados e ficar passeando pela casa não rola.Então mesmo sem conhecer os benefícios que essa opção trazia nós nos demos muito bem com ela,eu inclusive sempre recomendei.Antes de sofre o aborto do meu segundo bebê essa também era minha idéia.Compartilhar o quarto.Dai eu encontro o Co Sleeping e definitivamente essa será minha opção quando sim eu tiver meu terceiro filho.
Sobre a Kiddo
Há quase 50 anos no mercado, a Kiddo é uma das mais tradicionais fabricantes e importadora do setor de puericultura pesada nacional. É detentora das marcas Whoop, caracterizada por conter produtos mais acessíveis, e Lenox, com exclusiva linha de utilidades domésticas. Também distribui com exclusividade no Brasil a marca europeia Joie, que chama atenção pelo nível de sofisticação. Ao todo, são mais de 50 produtos diferenciados, incluindo carrinhos, cadeirões, banheiras, berços, cercados e vários acessórios como o esterilizador de mamadeira, protetor de colchão, travesseiros, grade para cama e para porta. A empresa faz parte do grupo latino-americano Baby Alliance. A Kiddo possui entre os principais diferenciais a preocupação com a qualidade, a segurança, o design e a inovação em todos os seus produtos. Informações sobre todas as marcas e lojas poderão ser encontradas no site da empresa (http://www.kiddo.com.br/).