domingo, 6 de novembro de 2016

PETS-Uma história de amor!

Olá, tudo bem com vocês?

Em menos de 30 dias nossa gatinha fará 1 ano de vida...
Sempre que posto alguma foto com nossa gatinha Lillo recebo mensagens me perguntando se quando engravidei eu já há tinha...
Então quero falar um pouco sobre como a adoção dos pets tem acontecido em nossas vidas.
Quando digo nossas é porque o cuidado e amor dos pets envolvem toda a família.
Eu,papai e Helô.
Mas vamos lá para o começo de tudo...
Papai sempre teve gato e cachorro em casa.
Mamãe só foi ter um cachorro no fim da adolescência.
Papai sempre preferiu os gatos (Fifi a gatinha da vovó é muito amorosa)
Mamãe sempre preferiu cachorros ( achava que gatos eram sujos e insensíveis)
Helô sempre quis um pet,tanto fazia ser gato ou cachorro, urubu ou papagaio...
Foi então que tudo começou a mudar...



Moramos em um bairro com muitos gatos de rua.Então alguns vizinhos acabam colocando comida e água para eles.
Tem uma gata que passa o dia em nossa garagem,ela é muito arisca então sempre que da cria, ninguém consegue pegar os filhotes para levar a adoção, ou até mesmo pega-la para castração.
No inicio de Dezembro de 2015 ela teve novas crias...
Assim que um vizinho percebeu e foi ver como os filhotes estavam,ela começou a esconder um a um.
Provavelmente nessa mudança de esconderijo, deixou um filhote cair em minha escada para a garagem.
Isso aconteceu no dia 3 de Dezembro de 2015.As 13:15 eu saindo de casa para levar Helô a escola me deparei com uma bolinha branca no degrau.Me assustei com o tamanho,mas fui ver o que era.
O gatinho era menor que a palma de minha mão, não se mexia,não abria os olhos e nem miava.


Levei Helô a escola e na volta resgatei o filhotinho.
Quando vi fiquei horrorizada com a quantidade de pulgas no gato.
Minha primeira ação, foi dar um banho no gatinho,claro que preparei agua quentinha e shampoo Infantil.
Na hora eu não fazia idéia,mas ela deveria ter nascido a pouquíssimo tempo pois ainda havia resíduos da placenta grudados ao corpinho dela.
Dei um bom banho,consegui tirar todas as pulgas...ai papai já estava em casa e me auxiliou.
Pós banho dei leite...Todo mundo da leite para gatos,então achei que era o certo.
Demos  os primeiros socorros a gatinha...até ai já tínhamos identificado que era fêmea,mesmo sendo novinha sabia que era fêmea.
No mesmo dia,fui a Pet shop mais próxima para saber como alimentar e tratar um gatinho tão novo.
O veterinário que esta lá, na verdade ainda era estudante mas ainda assim me auxiliou muito bem.
Nos foi indicado um leite específico para filhotes ( bem parecido com Leite artificial para bebês humanos).
Porém o valor de cada lata saia bem mais caro do que uma para bebê humano.
Então ele me deu outra opção mais em conta porém mais trabalhosa e com um percentual de sucesso indefinido.
A ideia era triturar a ração e adicionar leite desnatado,já que o integral poderia dar diarréia.
Assim foi feito.
Amamentei nossa Lillo com ajuda de uma seringa.
Dava trabalho ,mas foi dando certo.
A cada 2 horas ela tinha de ser amamentada.
E não era só isso,tinha que estimular a urina e fezes também e assim como bebê humano tinha de fazê-lá arrotar.
Ou seja eu tinha um bebê recém-nascido em casa.
Esse processo teve de ser rigoroso no primeiro mês, já que tudo que a rodeava era artificial.Após o primeiro mês, todos surpresos por a pequena gatinha se desenvolver bem,pudemos mudar a rotina,ela já começou  comer ração umedecida e já fazia as necessidades sozinha.Claro que ainda não utilizava a caixa de areia,era muito grande para ela.
Com 45 dias iniciamos os cuidados com a saúde, no caso vermífugo.Com 3 meses demos início as vacinas.
Quando começamos as vacinas mudamos de veterinário e esse que começou a acompanhar a Lillo se surpreendeu pela saúde dela.
Dificilmente um gato sobrevive longe de sua mãe, ainda mais antes mesmo de ter sido amamentado.
Com isso chegamos a conclusão que nada é por acaso.
Eu que nunca gostei de gato é que a encontrei e comecei a cuidar dela como se fosse uma filha.Agora imagine você o apego e amor que tenho por ela.

Em breve a continuação de nossa história...