terça-feira, 8 de novembro de 2016

PETS Uma história de amor-Parte 2

Olá, tudo bem com vocês?


Voltando a nossa história de adoção dos pets...
Como ficou claro no primeiro post de mesmo tema,Lillo se desenvolveu super bem.
Não tem nenhum problema de saúde.
Ela se tornou acredito que pela forma com que a criamos ,um verdadeiro "cachorro".
Ela é super dócil e apegada a todos nós.
Se saímos ,quando voltamos ela faz uma verdadeira festa. Rola no chão, mia ,se enrosca em nossas pernas ,muita Fofura para uma "gatinha desapegada".
Infelizmente muitos assim como eu já fui um dia,têm grande preconceito com os gatos por esse motivo,acham que eles são insensíveis e interesseiros.
Agora "mãe" de pets eu vejo que eles são reflexo dos donos.
A forma como que os criamos definira como eles nos tratarão.
Mês passado saímos de férias para casa de minha família no interior de São Paulo.
Lá morava com minha mãe minha cadela Cindy uma Cooker,que infelizmente veio à óbito por idade.
Em consequência disso,minha mãe sai alucinada em busca de outro cachorro para adoção. Já que Cindy sempre avisa quando tinha estranhos no portão.
Voltando um pouquinho no tempo...
À 2 amos atrás meu sobrinho andando pela rua do bairro viu um homem jogar do carro um cachorro. Logo ele se aproximou do cachorro para ver se havia se ferido.
Era uma pequena fêmea de Yorkshire.
Em consequência disso ele à levou para casa, e acabaram ficando com ela.
Voltando a mês passado...
Mel a Yorkshire é uma cadela muito dócil e calma,não late por nada.E por esse motivo que minha mãe quis tanto ter outro cachorro.
Ela rapidamente encontrou um para adoção, só se esqueceu que ela já tinha uma fêmea de pequeno porte e o adotado era um macho de médio porte.
Não tendo ficado numa situação razoavelmente complicada ela acabou adotando outro macho de grande porte abandonado em sua rua.
Imagem então a soma... 2 machos e 1 pequena fêmea.
Jamais daria certo.
Foi ai que meu excelentíssimo esposo teve a idéia de adota-la.
Todos concordaram que seria a melhor condição para Mel.
Assim voltamos de viagem com uma cadela.



Nossa viagem correu super tranquila, mesmo sendo apenas 2 horas de viagem eu fiquei tensa com a possibilidade dela passar mal no carro ou ter algum ataque de pânico, nunca se sabe né...
Passado essa etapa,o próximo drama seria a apresentação da Mel para Lillo.
Primeiro porque Lillo havia ficado 7 dias sozinha(uma amiga vinha trocar a areia ,água e ração diariamente) segundo porque ela reinava plena e soberana ,era nossa princesinha felina.
Eu me deparei com a situação que muita mães se deparam quando tem o segundo filho(não entendam mal essa comparação).
Quando chegasse em casa eu teria que fazer a adaptação da Mel,que sofreu muito até ser adotada por minha mãe, e agora mudava de lar novamente...e ainda tinha que adaptar Lillo a chegada de um novo pet.Ela já não seria a única a ter nossa atenção.



Quando chegamos,primeiro meu esposo entrou em casa,à encontrou deu carinho,conversou(sim conversamos com os pets) e em seguida eu entrei sem a Mel fiz o mesmo procedimento... Ai as apresentamos...
Lillo de cara odiou a nova amiga (todos) mas já sabíamos que isso poderia acontecer.
De lá para cá tem sido assim,atenção igual para as duas,porque a mudança e adaptação é para ambas.Por parte da Mel tem sido mais fácil, ela e muito dócil e não encrenca com a Lillo.
Já a Lillo tem ciumes de tudo e sempre que poe da uma patada de leve na Mel.
Nos últimos dias a socialização das duas tem sido melhor.
Lillo já não tem estranhado tanto e até brincam de vez em quando.
Lillo sendo uma digna felina odeia sair de casa,então quando vamos passear com a Mel fico com muita dó de sair com apenas uma.Mas na volta recompensados a Lillo com algum agrado.
Enfim,não é fácil como parece ter adotado dois pets,eles exigem muita atenção e cuidados.
Fora os gastos que não são poucos.
Mas é gratificante o amor que recém os de volta...
Lillo é super apegada a meu esposo e Mel ficou apegada a mim,não sei se de repente é por lembrar de minha mãe. Mas ela se tornou minha sombra.
Helô nessa historia é a tipica "Felícia" ela amas os pets mas acaba forçando a amizade (risos)


De qualquer forma eu apóio e incentivo a adoção de forma consciente.
São tantos bichinhos abandonados a sorte,se pudermos lhes dar um pouco de amor,já é um começo.
E vocês?
Também tem pets?Já adotaram?
Beijus e até a próxima.